quarta-feira, maio 30, 2007

Dia Mundial da Energia

Para assinalar o Dia Mundial de Energia, a ERSE disponibiliza a partir de hoje um simulador de potência contratada com o objectivo de ajudar os consumidores a reduzir a factura. E aponta que os consumidores domésticos portugueses pagam mais 18 por cento do que os espanhóis.
O simulador disponibilizado pela ERSE, em www.erse.pt, permite a cada consumidor estimar a potência a contratar com o seu fornecedor de electricidade mediante o conhecimento dos equipamentos eléctricos que possui em casa e da sua utilização habitual.
As previsões apontam que o consumo mundial de energia vai crescer 57% entre 2004 a 2030, sobretudo através da procura dos países fora da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económicos (OCDE). Apesar dos elevados preços do petróleo e do gás, o ’Energy Outlook 2007’ refere que a procura mundial de energia vai continuar a aumentar.
É urgente todos participarmos na diminuição do consumo de energia com "pequenos grandes" actos, verificando-se benefícios em termos AMBIENTAIS e ECONÓMICOS.
Assim aqui ficam algumas dicas importantes:
DESCUBRA FORMAS FÁCEIS DE POUPAR DINHEIRO NA LUZ
Como poderá ser eficiente e poupar no uso que faz de electricidade, que ainda o permitirá gastar menos dinheiro?
Para começar, privilegie as soluções de iluminação baseadas em lâmpadas fluorescentes, quer as clássicas de tubos, quer as compactas. Uma lâmpada de baixo consumo de 20 Watts (W) proporciona a mesma luz que uma lâmpada convencional de 100 W, sendo que, ao final de um ano, terá uma poupança de cerca de 3 euros por cada hora diária de utilização.
Outra atitude que faz toda a diferença é desligar as luzes quando deixa de utilizar os espaços.
Utilize racionalmente os dispositivos de protecção de luz das janelas, como estores ou persianas, de modo a evitar deixar aquecer desnecessariamente os espaços no Verão. No entanto, no Inverno, consoante a exposição solar, a situação pode ser a inversa. Consome mais energia e é mais caro refrigerar ou aquecer um espaço do que iluminá-lo.
Se não conseguir evitar a utilização de lâmpadas muito potentes, use reguladores de intensidade nesses dispositivos de iluminação.
Os abat-jours muito opacos são outro tipo de iluminação que podem sair caros, já que obrigam a utilização desnecessária de lâmpadas mais potentes.
Um conselho já conhecido é o isolamento dos espaços onde instalar fontes de aquecimento ou arrefecimento localizadas, por exemplo, caloríficos e ar condicionado, fechando e calafetando devidamente portas e janelas.
USO INTELIGENTE DOS ELECTRODOMÉSTICOS PODE CORTAR GASTOS COM ELECTRICIDADE
Na utilização de equipamentos informáticos, algumas dicas podem ajudá-lo a poupar e bastante.
A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) recomenda que compre aqueles que tenham com sistemas de poupança de energia «Energy Star» e desligue-os sempre que preveja ausências de utilização superiores a 30 minutos.
Relativamente aos aparelhos electrodomésticos, desligue-os no interruptor em vez de os deixar em «stand by». Se possível, ligue alguns equipamentos como televisão, vídeo, DVD ou equipamentos de som, a uma base ligação múltipla com interruptor. Assim, ao desligar esse interruptor vai apagar todos os equipamentos e poupar mais de 40 euros por ano.
A ERSE recomenda também que o equipamento de ar condicionado esteja sempre a uma temperatura de 22 a 24ºC.
Poupanças de 30% com frigorífico - Quando falamos dos electrodomésticos, as poupanças também podem ser significativas. Experimente usar, sempre que possível, os electrodomésticos com etiquetagem de energia da classe A+ ou A++. Aqui, vai também ganhar se o frigorifico for colocado num lugar fresco e ventilado e longe de possíveis fontes de calor (fogão, forno e radiação solar). Ajuste o termóstato de forma a manter uma temperatura de 5º no compartimento de refrigeração e de menos 18º no compartimento de congelação. Descongele antes que a capa de gelo alcance os 3 milímetros (mm) de espessura e vai conseguir poupanças de energia de cerca de 30%. Pode ainda limpar uma vez por ano a parte traseira do equipamento e abra a porta o menos possível, além de fechá-la assim que possível.
Em relação à máquina de lavar e/ou secar a roupa, procure adquirir equipamentos bitérmicos (puxadas de água independentes: uma para a água fria e outra para a água quente) que utilizam a água pré-aquecida por outras fontes mais eficientes (esquentador ou caldeira a gás). Procure trabalhar sempre com a carga máxima e use os programas de baixa temperatura (excepto quando a roupa está muito suja). Centrifugar gasta ainda muito menos energia para secar a roupa do que utilizar a opção de secagem.
Já com a máquina de lavar a loiça, deve seleccionar o tamanho do equipamento em função das suas necessidades e procure trabalhar sempre com a carga máxima. Também manter sempre cheios os depósitos de sal e abrilhantador vão permitir-lhe gastar menos dinheiro porque reduzem o consumo de energia na lavagem e secagem.
E menos 20% com forno - Com o forno, abra-o só se necessário porque cada vez que o faz está a ter uma perda energética de pelo menos 20%. Procure aproveitar ao máximo a capacidade do forno e cozinhe, se possível, de uma só vez o maior número de alimentos. Ao contrário do que pode pensar, não é necessário aquecer previamente o forno para cozinhados superiores a 1 hora. Apague também o forno um pouco antes de finalizar a confecção uma vez que o calor residual será suficiente para acabar o processo.
Sobre os pequenos electrodomésticos (ferro de passar, torradeira, aspirador), há maneiras eficientes de os utilizar. Por exemplo, não os deixar ligados se vai interromper a tarefa e aproveitar o calor residual do ferro para passar alguma quantidade de roupa.
Quanto ao esquentador, em caso de ausências prolongadas, desligue-o. Para além de poupar gás, evita a acumulação de resíduos da combustão e reduz a emissão de gases com efeito de estufa.

Um outro ponto importante é verificar a sua factura de electricidade: analise se a potência contratada é adequada ao consumo real da instalação ou se poderá reduzi-la. Sites como o da própria ERSE, DECO ou da EDP permitem fazê-lo. Por fim, confirme se os seus consumos privilegiam horários que beneficiariam da tarifa bi-horária, em que a energia é mais barata nas horas de vazio (à noite e aos fins de semana) e opte por esta, em caso afirmativo.

SAIBA COMO PODE GASTAR MENOS ENERGIA ESTE VERÃO
Há várias formas de conseguir reduzir os custos com o consumo de energia em casa, de acordo com as recomendações da própria EDP. Saiba como vai reduzir a sua factura.
Para começar, um bom isolamento térmico é sempre uma forma de evitar as perdas de calor e as infiltrações e, assim, não há tanta necessidade de investir em sistemas de climatização. Por exemplo, calafetar portas e janelas com fita adesiva de espuma (indicada para o efeito) é 5% de energia que se poupa. Já ao isolar as paredes, chão e tecto, consome-se menos 30%. Isto percebe-se pelo facto de cerca de 60% da energia dos sistemas de aquecimento ser desperdiçada ao escapar por zonas que podem ser facilmente isoladas.
Quanto à climatização, as temperaturas consideradas de conforto para uma casa variam entre os 18ºC, no Inverno, e os 25ºC, no Verão. Assim, para obter estas temperaturas pode-se escolher o vestuário adequado à estação do ano, mesmo dentro de casa, sendo que no Verão deve-se evitar a entrada dos raios solares directos durante o dia e facilitar a ventilação natural de noite, abrindo as janelas em lados opostos da casa.
A iluminação é também um factor muito importante para os gastos com a energia uma vez que representa cerca de 10 a 15% do consumo de electricidade de uma habitação. Por isso, deve-se aproveitar ao máximo a luz solar para evitar acender lâmpadas durante o dia. Além disso, pode-se desligar a luz quando esta não for necessária ou instalar sensores de movimento nos locais de passagem. Uma boa dica são as lâmpadas fluorescentes compactas que dão a mesma luz, mas gastam menos 80% de energia.
Desligar televisão sem comando dá poupança de 20 euros
Com o ar condicionado, a EDP recomenda que se verifique o isolamento da casa quando este estiver a funcionar, mas como alternativa pode-se recorrer à ventilação natural ou a ventoinhas, se o calor não for abrasador.
A televisão é também um equipamento com gastos, muitas vezes, desnecessários. Para reduzi-los convém não ligá-la só para servir de companhia, nem adormecer com ela ligada. Outro conselho útil é desligar a televisão no botão, em vez de a desligar no comando. Uma medida que pode levar a poupanças bastante significativas. Segundo a EDP, uma família média portuguesa poderá poupar cerca de 20 euros por ano e 100 kg CO2.
Responsáveis pela maior parte do consumo de electricidade no sector residencial são os equipamentos como os frigoríficos e os combinados. Só 20% do seu consumo deve-se à abertura das portas, pelo que se deve tentar reduzir este tempo. E em período de férias ou de ausência prolongada é uma boa ideia esvaziar o frigorifico e desligá-lo.

PORTÁTIL MAIS ECONÓMICO EM 90% QUE COMPUTADOR TRADICIONAL
O computador é já quase considerado um electrodoméstico e também consome muita energia. Aqui, os conselhos da EDP passam por desligar todo o equipamento quando não estiver a ser utilizado, programar o computador para se desligar automaticamente e, ainda, optar por portáteis que são bastante mais económicos. Este tipo de computador pode consumir até menos 90% de energia do que um tradicional.

VAMOS TODOS AJUDAR A SALVAR O NOSSO PLANETA...

Saudações Geográficas
Liliana Azevedo

2 comentários:

Anónimo disse...

Solar eneragy is the future for the world.
[url=http://www.solarcourses.org/]solar generators[/url]

Anónimo disse...

Solar eneragy is the future for the world.
[url=http://www.solarcourses.org/]solar water pump[/url]