segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Geografar


Este blog nasce depois de muito tempo pensarmos poder ser interessante registar por escrito muitas das conversas, diálogos e pensamentos que todos os dias qualquer geógrafo por natureza realiza de forma individual ou com outros colegas e não só.
A interacção com o meio é inevitável e isso é bom. Apreende-se o Mundo! Que seja então um espaço de construção, de discussão e de registo geográficos!
Liliana e Luís

4 comentários:

Anónimo disse...

De facto, os geógrafos, enquanto pensadores do espaço e especialista na articulação de saberes dos domínios físicos e sociais, têm uma sensibilidade muito particular ara analisar os fenómenos que envolvem várias problemáticas do dia-a-dia da sociedade. Construir pontes entre os diversos ramos das ciências económicas, históricas, naturais e sociológicas é o papel primordial do geógrafo. Analisar com visão global é o papel do actor geográfico. Esqueçam o falso mito da "aldeia global". A globalização apenas serviu para aumentar o fosso e a diferenciação espacial. Cabe ao geógrafo aproximar os espaços, estabelecendo elos de interdependência, evitando, assim, disparidades sociais e espaciais. A cidade de Coimbra é frutífera em disparidades espaciais. Continuações de boas divagações geográficas. A sociedade agradece que alguém pense a médio e longo prazo. As pontes unem muito mais que povos e espaços, uma vez que é da união dos saberes e do confronto de ideias que se constrói um mundo mais equitativo e justo. Luís Monteiro.

Geografos disse...

Caro colega e amigo, sê bem vindo a este nosso recente e criado espaço.
Este blog é para todos nós, os que se interessam por esse tão grande mundo geográfico!
Os desejos de muitas visitas e discussões por cá.

Luís

Geografos disse...

Sê bem vindo a este nosso blog! De facto Coimbra é uma cidade com imensas disparirades esepaciais,tal como todas as cidades portuguesas, mas como escreveste, cabe ao geógrafo ter a percepção dessas disparidades e potenciar a aproximação dos espaços sejam eles de que ordem forem. Mas não é só ao Geógrafo que cabe essa responsabilidade. Ela também tem de partir de todas as entidades competentes e de todos os seus habitantes.
termos a percepção de que pertencemos a certos espaços, que somos parte integrante deles, que nos identificamos com eles, é sem dúvida, meio caminho andado para reduzir as disparidades.
Saudações geográficas
Liliana Azevedo

Anónimo disse...

“Todos temos um pouco de geógrafos.”

Esta expressão arrelia-me, pois todos os seres humanos têm também um pouco de matemáticos, de filósofos, políticos, treinadores de futebol, ambientalistas, geólogos, etc. e não o são!

Temos que nos assumir como geógrafos e fazer valer esse estatuto nas nossas vidas.
Nós aguçámos os sentidos através da geografia, e como geógrafos somos um pouco de geólogos, cartógrafos, ambientalistas, urbanistas, economistas, sociólogos, filósofos, etc. e por isso devemos assumirmo-nos sem medo como geógrafos. E citando um colega geógrafo, afirmo:

“Das muitas coisas de que esta profissão é enferma, as pessoas não se assumirem como geógrafas é a principal delas.”

Se não tivermos esta última atitude, não nos afirmaremos como profissionais, e este país, sem falsas modéstias precisa de geógrafos.
Dou-vos só um exemplo, se eu não me afirmasse como geógrafo no dia-a-dia, algo que tenho orgulho, muitas pessoas não saberiam o que realmente é um Geógrafo.

"Geografia é saber as capitais de países, os rios, etc."

Hoje em dia esta palavra já entrou felizmente no vocabulário de muitas pessoas, e sem dúvida, com bons resultados na nossa imagem profissional.
O facto de o mercado não absorver muitos de nós não é nenhuma vergonha e não é por isso que não devemos deixar de assumir o que efectivamente somos, Geógrafos!

Parabéns pelo blog!